quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Willian Bonner e Fátima Bernardes separam-se. Porquê?

Muita gente chocada com a separação anunciada do Willian Bonner e da Fátima Bernardes. O mito do amor romântico ainda molda os sonhos mais profundos até que o tapa na cara da vida, que deveria ser um empurrão para frente, vira pá de cal jogada em nossa alma no fundo do poço. A primeira coisa que devíamos aprender antes de começar qualquer uma relação, emprego, modo de vida etc, é que isto um dia vai terminar. “Ah Jordan, que trágico!” Sim, sim... Seja por desentendimento, uma política nova, uma morte ou uma decisão... Sim: Vai acabar. É a única certeza que temos há séculos e séculos de nossa ativa mente intelectual. E ainda não aprendemos a aproveitar o agora. Viver não é esperar a tempestade passar, é aprender como dançar na chuva. Uma relação de 26 anos e três filhos deu muito certo. Menos de 2% das pessoas que lerão este texto conseguirão ter mais de 25 anos com alguém. Eles deram certo o tempo que a função da relação possibilitou. Podemos dar certo por um dia, um mês, alguns anos ou até que a morte nos leve antes.

Comentários do tipo: “Deus une em definitivo, na hora que casa a gente fala na doença ou na tristeza, em fim promete tudo, e depois separam” (site uol). “Eu não concordo, acho que os casais têm que ser mais tolerantes, até mesmo procurar os erros e corrigi-los” (site terra). “A Fátima dá a impressão de ser um verdadeiro porre...” (globo.com). “Sabia que depois que o Bonner ficou assanhado para o lado da Majú isso ia acontecer” (site folha). Este tipo de reação mostra o quanto precisamos amadurecer emocionalmente para não adoecer por mediocridade e desaviso nesta vida.

As relações afetivas de longo prazo vivem uma Era de extinção. Nosso momento global, cultural, midiático e educacional prega exatamente isto. E isso tem um lado bom e um ruim. O lado bom é que podemos evitar de viver ao lado de uma pessoa apenas pelo símbolo bacana de ter uma família para a sociedade e família ver. Sabe aquele casal juntos há 40, 50 anos que já faz mais da metade do tempo de casados que nem um beijo dão? Que não trocam afeto, carinho, planos emocionais? Pois é... Hoje podemos pular a fogueira que talvez nossos avós não conseguiram.

O lado ruim talvez seja que esta necessidade de rotatividade possa nos mostrar lá na frente que continuamos vazios e possamos nos arrepender. Deixamos passar aquela pessoa que seria o mais perto do amor de nossas vidas. Na verdade, a maioria das pessoas não casa com o grande amor da vida – casa com aquela pessoa que coube na hora certa. Mas podemos pensar o que vale mais: viver 50 anos com uma pessoa tendo apenas curtido 10 anos dos 50? Ou casar com 5 pessoas por 10 anos cada e curtir o máximo de cada uma? Esta conta só cada um pode fazer.

Mas de uma coisa certa eu posso afirmar. Na atual conjectura emocional que vivemos, a inteligência sexual é um dos alicerces mais importantes para sustentar relacionamentos em longo prazo. Se você acha que é o amor, o respeito, os filhos... Volte algumas casinhas no jogo da vida. O sexo é o alicerce da nossa Era. O Bonner e a Fátima devem ter amor, respeito e tem três filhos. Amor não basta para ficar junto. Lembra do que escrevi antes sobre o “amor de nossas vidas”?

Comecei a tentar entender e buscar incessantemente sobre a natureza da permanência matrimonial em contraste com o mito romântico. Como terapeuta eu sei que 90% dos conflitos gerais têm fundo em problemas de sexo, relacionamento, aceitação e exclusão afetiva – seja dos pacientes os de seus antepassados. Eu viajei pelo mundo minha gente, tive contato com a Ásia Oriental, Europa, Leste Europeu, América do Norte e Central, e o que notei é que em todo lugar onde o romantismo entrou, parece existir uma crise do desejo. Uma crise de já se possuir o que se quer, e acho que esta é a primeira vez na história da humanidade que tentamos entender e experimentar a sexualidade por um longo período, não porque queiramos reproduzir dez filhos, e não porque é exclusivamente um dever conjugal da mulher. Esta é a primeira vez que queremos sexo que ao passar do tempo ainda tenha prazer e conexão baseados simplesmente no desejo e fidelidade. E isso tinha tudo a ver com casamentos longos, onde se mantém o desejo. Mas por que é tão difícil mantê-lo ao longo prazo?

De um lado, nossa necessidade de segurança, previsibilidade, proteção, dependência, confiança, permanência, todas essas experiências fundamentadas das nossas vidas que chamamos de lar. Porém temos também uma necessidade igualmente forte, homens e mulheres, por aventura, novidade, mistério, risco, perigo, desconhecido, inesperado, surpresa. Conciliar nossa necessidade por segurança com a nossa necessidade por aventura em um relacionamento, ou o que chamamos hoje de um casamento apaixonante, costumava ser uma contradição. Hoje em dia queremos que nosso parceiro continue a nos dar tudo isso, e, além disso quero que seja meu melhor amigo e meu confidente, meu amante apaixonado - Então nós basicamente pedimos a uma pessoa que nos dê o que antes uma rede inteira de relacionamentos inteiro nos fornecia. Dê-me merecimento, identidade, continuidade, mas também transcendência, mistério e admiração, tudo junto. Dê-me conforto e limite. Dê-me novidade e familiaridade. Dê-me previsibilidade e ao mesmo tempo surpresa. E achamos que acordos, brinquedos eróticos e lingerie irão nos salvar. Não vão.

E assim, o Bonner e a Fátima postam a seguinte mensagem: “Em respeito aos amigos e fãs que conquistamos nos últimos 26 anos, decidimos comunicar que estamos nos separando. Continuamos amigos, admiradores do trabalho um do outro e pais orgulhosos de três jovens incríveis. É tudo o que temos a declarar sobre o assunto. Agradecemos a compreensão, o carinho e o respeito de sempre.”

Pois então... Vamos viver intensamente o que temos, vamos entender que é a nossa possibilidade de ser livre que nos “prende” em um ninho de relação. E não tenhamos medo de desistir quando o eco de sua emoção não mais voltar. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante: Quem quer errar, erra. Quem quer ganhar, ganha. Quem quer trair, trai. Quem quer ir, vai logo. Quem quer amar, não desiste. Porém... Quem ainda não sabe o que quer, inventa tolas desculpas. E acaba ferindo de mais. Cansando o amor. Dando um belo tiro no pé. Amemos e por favor - não opinemos numa relação que não foi nossa.

Por Jordan Campos - Terapeuta clínico.

Sobre Jordan Campos
Jordan van der Zeijden Campos, natural de Salvador, é terapeuta transpessoal sistêmico clínico (TTS), iridólogo, músico, escritor, poeta, conferencista, pesquisador autodidata e amante de gente. De linha espiritualista, mescla conhecimentos e práticas em psicologia transpessoal, biopsicossomática, (re)programação neurolinguística e o incrível universo da íris humana no conjunto de entendimento e libertação do Ser Humano vivente neste século. Presidente do projeto Farmácia da Alma e diretor da Intercessio Consultoria Transpessoal.
www.jordancampos.com.br                     Instagram @jordanzcampos

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Fumar mata! 29 de Agosto - Dia Nacional de Combate ao Fumo

Campanha ressalta benefícios de parar de fumar e exame que detecta o câncer de pulmão

Muitas pessoas sabem que o tabagismo está na origem de 90% dos casos de câncer de pulmão e os fumantes têm cerca de 20 vezes mais risco de desenvolver a doença. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima o surgimento de 28.220 novos casos de câncer de pulmão em 2016. Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Fumo, 29 de agosto, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica, com o apoio do Grupo Oncoclínicas, lança uma campanha em todo país que traz dois enfoques: os benefícios imediatos para quem deixa de fumar e o novo aliado do diagnóstico precoce - a tomografia computadorizada de baixa dosagem (TCBD). Na Bahia, a campanha conta com a parceria do NOB (Núcleo de Oncologia da Bahia). "O cigarro representa um risco potencial para vários tipos de câncer e nem o fumante passivo está livre desse risco. Parar de fumar representa um ganho enorme para a saúde," esclarece a oncologista Clarissa Mathias, do NOB, que de 25 a 27 de agosto participa da 7ª Conferência Latino Americana sobre o Câncer de Pulmão, na Cidade do Panamá.

“Além de informar que não fumar é o primeiro cuidado para prevenir a doença, nosso objetivo é estimular que o tabagista deixe de fumar o quanto antes, já que as vantagens à saúde têm início 20 minutos após ele tomar esta importante decisão”, explica Leonardo Brand, cirurgião torácico do Hospital Madre Teresa e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica.

O especialista explica que quando a pessoa para de fumar, o corpo reage de forma quase que instantânea. Em 20 minutos a pressão arterial volta ao normal e a frequência do pulso cai aos níveis normais. Em 8 horas, os níveis de monóxido de carbono no sangue chegam aos valores normais e o nível de oxigênio aumenta. Em 24 horas, o risco de se ter um acidente cardíaco relacionado ao fumo diminui. Em 48 horas, as terminações nervosas começam a se recuperar de novo e os sentidos de olfato e paladar melhoram. De duas semanas a três meses, a circulação sanguínea melhora consideravelmente. Caminhar torna-se mais fácil e a função pulmonar melhora em até 30%.

“A partir de um a nove meses, os sintomas comuns em fumantes, como tosse, rouquidão, e falta de ar ficam mais tênues. Os cílios epiteliais iniciam o crescimento e aumentam a capacidade de eliminar muco, limpando os pulmões. A pessoa fica mais disposta para realizar atividades físicas. Em cinco anos, a taxa de mortalidade por câncer de pulmão de uma pessoa que fuma um maço de cigarros por dia diminui em pelo menos 50%. Em 15 anos, podemos dizer que os riscos são praticamente iguais aos de uma pessoa que não fuma. Vale à pena parar de fumar!”, enfatiza Brand.

Exame

Outro ponto que a campanha destaca é que agora a medicina conta com um poderoso aliado na identificação do câncer de pulmão, que permite o diagnóstico precoce e exerce papel fundamental para a cura da doença. É o chamado rastreamento do câncer de pulmão com tomografia computadorizada de baixa dosagem (TCBD). “Podemos comparar o papel deste exame ao da mamografia para o câncer de mama, tamanha sua importância. Precisamos difundi-lo e torná-lo regular para o grupo de risco”, argumenta o cirurgião.

Disponível na maioria das Unidades de Medicina Diagnóstica do país, a TCBD é o exame mais indicado como método de rastreamento para o câncer de pulmão. Devido a sua menor dose de radiação, pode ser repetida frequentemente, de acordo com um protocolo bem estabelecido, para o acompanhamento dos pacientes tabagistas, que compõe o grupo de risco para desenvolvimento do câncer de pulmão. Além disso, a TCBD também detecta outras doenças provocadas pelo tabagismo, antes mesmo de manifestarem qualquer sintoma.

Leonard Brand informa que devem fazer o rastreamento de câncer de pulmão por meio da TCBD , fumantes com carga tabágica (exposição do indivíduo ao tabagismo) maior ou igual a 30 maços ano (número de maços por dia X anos que fumou) e ex-fumantes que cessaram o tabagismo há menos de 15 anos, e com idade entre 55 e 74 anos.

“Para este perfil de pacientes já há evidências na literatura médica de que a tomografia computadorizada de baixa dosagem (TCBD), como método de rastreamento, possibilita uma redução significativa da mortalidade, de até 20%, por câncer de pulmão, o que é um avanço extremamente importante e animador”, explica.

Resultados

Para avaliar os resultados deste tipo de exame é necessária uma equipe interdisciplinar composta por radiologista, pneumologista, oncologista e cirurgião torácico, todos com experiência em doenças do tórax, para orientar a conduta médica por meio da interpretação dos resultados anormais da TCBD em cada paciente.

O diagnóstico precisa ser confirmado com biópsia, que pode ser feita por broncoscopia (exame em que um tubo fino com uma câmera penetra pelas vias aéreas), punções transtorácicas com agulha ou por cirurgia. Quando o resultado do exame anatomopatológico comprova o diagnóstico de câncer de pulmão, são realizados outros exames para saber qual o estágio da doença. O estadiamento pode incluir exames de sangue, tomografia computadorizada do abdome, cintilografia óssea e ressonância magnética do cérebro. O Pet-CT também pode ser muito útil no estadiamento do Câncer de Pulmão.

Existem dois tipos principais de câncer de pulmão: carcinoma de pequenas células e de não pequenas células. O carcinoma de não pequenas células corresponde a 85% dos casos e se subdivide em carcinoma epidermóide, adenocarcinoma e carcinoma de grandes células. O tipo mais comum no Brasil e no mundo é o adenocarcinoma e atinge 40% dos doentes.

Tratamento

O tratamento do câncer de pulmão se baseia em cirurgia, tratamento sistêmico (quimioterapia, terapia alvo e imunoterapia) e radioterapia. Sempre que possível, a cirurgia é realizada na tentativa de se retirar uma parte do pulmão acometido. Atualmente, os procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos, por vídeo (CTVA) são cada vez mais realizados com menor tempo de internação e retorno mais rápido do paciente às suas atividades. Segundo Leonardo Brand, a indicação da cirurgia depende principalmente do estadiamento do tumor, tipo, do tamanho e da localização do tumor, além do estado geral do paciente.

A oncologista Clarissa Mathias, do Núcleo de Oncologia da Bahia – NOB, explica que muitas vezes, a quimioterapia e a radioterapia são indicadas após a cirurgia para destruir células tumorais microscópicas residuais ou que estejam circulando pelo sangue. A combinação de tratamento sistêmico e radioterapia também pode ser administrada no início do tratamento para reduzir o tumor antes da cirurgia, ou mesmo como tratamento definitivo quando a cirurgia está contraindicada. A radioterapia isolada é utilizada algumas vezes para diminuir sintomas como falta de ar e dor.

Mas o grande avanço dos últimos anos é a imunoterapia. Baseado no princípio de que o organismo reconhece o tumor como um corpo estranho desde a sua origem, e de que com o passar do tempo este tumor passa a se disfarçar para o sistema imunológico e então se aproveitar para crescer, a imunoterapia busca reativar a resposta imunológica contra este agente agressor.

“Atuando através do bloqueio dos fatores que inibem o sistema imunológico, as medicações imunoterápicas provocam um aumento da resposta imune, estimulando a atuação dos linfócitos e procurando fazer com que eles passem a reconhecer o tumor como um corpo estranho”, finaliza.

Sinais de alerta

Dra. Clarissa Mathias explica que a maioria dos pacientes com câncer de pulmão apresenta sintomas relacionados ao próprio aparelho respiratório, tais como:

- Tosse;

- Falta de ar;

- Escarro com sangue;

- Dor no peito.

Outros sintomas inespecíficos também podem surgir, entre eles perda de peso e fraqueza. Em poucos casos, cerca de 15%, o tumor é diagnosticado por acaso, quando o paciente realiza exames por outros motivos.

A recomendação é que caso a pessoa apresente um dos sintomas, procure imediatamente um médico.


Sobre o NOB
O NOB integra o grupo Oncoclínicas, que reúne 34 unidades de referência no tratamento oncológico no país. Fundado em 1992, o Núcleo de Oncologia da Bahia (NOB) tem sua sede na Avenida Ademar de Barros, 123, no bairro de Ondina, em Salvador, e conta também com unidades em Lauro de Freitas e no Hospital da Bahia, tendo como missão o acolhimento e a saúde integral do paciente oncológico. Para isso, conta com um corpo clínico formado por diversos especialistas, dentre oncologistas, hematologistas, reumatologistas, algologistas (tratamento da dor), nutricionistas e psicólogos que atuam juntos de forma multidisciplinar, com foco no atendimento humanizado e individualizado para garantir o melhor para o paciente. Sua equipe é altamente qualificada e comprometida com o aprimoramento contínuo.

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Descongestionante nasal causa dependência

Uso do medicamento é paliativo e pode trazer riscos à saúde

O descongestionante nasal ocupa o terceiro lugar na lista de problemas causados por efeitos colaterais e uso incorreto de remédios, segundo o Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox) do Hospital das Clínicas de São Paulo. Ele só perde para os anti-inflamatórios e os analgésicos. Seu uso indiscriminado causa dependência e, com o tempo, pode levar a alterações cardíacas, elevação da pressão arterial e, até mesmo, impotência.

“Este tipo de medicamente não cura, pelo contrário, vicia o nariz. As gotinhas trazem uma falsa sensação de alívio, pois trata-se de uma substância vasoconstritora”, explica a otorrinolaringologista Clarice Saba, Vice-Presidente da Sociedade de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço da Bahia e Membro da OMB – Ordem dos Médicos do Brasil.

O vício em descongestionante acontece justamente por essa razão: por ser vasoconstritor, os vasos se contraem, diminuindo a quantidade de sangue da região, e a mucosa nasal “murcha”. “Com isso, a pessoa fica com mais espaço para respirar. Ela tira o edema, mas altera também a função nasal. O paciente acha que está respirando bem quando, na verdade, o nariz não está fazendo a função dele de filtrar, aquecer e esfriar o ar”, esclarece.

A falsa sensação de alívio traz também efeito rebote. Com o uso indiscriminado da substância, o nariz não desempenha bem sua função e, com isso, o cérebro age mandando cada vez mais sangue para a região, o que faz com que o órgão olfativo fique entupido com maior frequência. “O aumento do uso das gotas nasais está longe de ser o tratamento adequado. É necessário procurar o médico otorrinolaringologista para se fazer o diagnóstico da causa do nariz entupido e, assim, fazer o tratamento correto”, pontua a especialista.

Entre os que costumam fazer uso dessas gotinhas, estão os portadores de rinite alérgica, pois o descongestionante alivia os principais sintomas da doença, como, por exemplo, a obstrução nasal. “Caso a rinite não seja tratada corretamente, ela pode evoluir para a rinossinusite inflamatória e infecciosa. A alergia é uma doença de caráter familiar, que pode não ter cura, mas tem controle. O tratamento adequado dará qualidade de vida ao paciente”, conclui.

sábado, 9 de julho de 2016

Receita para a dor de cabeça

Receita caseira super eficaz para acabar com a dor de cabeça.

É por isso que nós vamos te mostrar como fazer um remédio natural que você pode usar para aliviar a dor de cabeça crônica. Isso reduz a dor sem os efeitos colaterais das drogas. É muito simples.

spaceplay / pause

qunload | stop

ffullscreen
shift + slower / faster
volume

mmute
seek

 . seek to previous
12… 6 seek to 10%, 20% … 60%
Ingredientes:
  • 10 dentes de alho
  • 600ml de mel
  • 10g  grãos de pimenta do reino
Preparação:
Primeiro, limpe, descasque e parta os dentes de alho ao meio. Depois, coloque-os em um pote de vidro, adicione o mel e jogue um pouco da pimenta por cima no final. Feche bem o pote e deixe a mistura em infusão por 5 dias. E está pronto!
Assim que você notar que a dor de cabeça está se aproximando, você pode tomar uma colherada desde ótimo remédio e mandar a dor pra longe. O importante é que um pedaço de alho e de pimenta estejam na colher. Claro, você também pode tomar uma colher disso todos os dias, até quando não estiver com dor de cabeça, antes mesmo antes dela aparecer. Graças às propriedades antibacterianas do mel, junto com o alho e a pimenta, a pressão sanguínea diminui, o seu sistema imunológico fica fortalecido e toda a sua circulação te agradece.
Fonte: www.naoacredito.com.br

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Cebola faz milagres


Aqui vão 8 dicas geniais de como usá-la. Valem ouro!
1. Gripe
Primeiro, o clássico: essa dica já é uma velha conhecida. A próxima vez que você pegar uma gripe ou um resfriado, ferva um pouco de água, coloque algumas cebolas e deixe cozinhar em fogo brando. O sabor do chá de cebola pode não ser lá dos melhores, mas em menos de 2 horas você já vai perceber o efeito. Ele alivia dores no corpo e age como um expectorante natural. Caso precise de uma dose maior, a dica é comer uma cebola crua. Mas experimente o chá primeiro, ele também ajuda a descongestionar as vias aéreas.
imgur
2. Dor de ouvido
Quem já teve dor de ouvido sabe como é horrível. A dor parece penetrar fundo dentro da cabeça e nada parece ajudar. Mas se você colocar um pedaço de cebola no ouvido vai sentir bastante alívio. Isso porque a cebola age diretamente sobre o foco da inflamação.
twitter/Daring Girl Fashion
3. Cisco nos olhos 
Quando qualquer pessoa tem algo dentro do olho, quer tirar o mais rápido possível. Então começa a coçar. NÃO faça isso! Você pode acabar danificando a retina. O melhor a fazer é simplesmente cortar uma cebola: as lágrimas que inevitavelmente escorrem ajudam a remover qualquer partícula indesejada imediatamente. 
imgur
4. Cortes e lacerações
Quando você se cortar na cozinha, a cebola pode ser a sua melhor amiga: basta colocá-la em cima do corte e pressionar. Ela não apenas ajuda a estancar o sangramento como o desinfeta, impedindo que haja uma inflamação. Outro efeito benéfico: o processo de cicatrização é muito mais rápido.
twitter/Prepd
5. Cicatrizes
Muitas pessoas têm cicatrizes. Seja decorrente de um acidente ou de uma cesárea, elas vão te acompanhar pelo resto da vida. Mas, se você cortar uma cebola, amassá-la e passá-la pelo escorredor, o suco pode ajudar a combater a descoloração. Molhe um pedaço de pano no suco e coloque-o sobre a cicatriz. Repita algumas vezes por dia e, passados 3 dias, a descoloração terá desaparecido!
twitter/ jay ft khi
6. Infecções
Se você tiver uma infecção de pele, ferva um pouco de leite, misture com um pedaço de pão e uma cebola até formar uma pasta. Limpe  o local infectado e cubra com a pasta. Espere 2 horas até ela secar. Remova e limpe novamente com cuidado. A infecção logo desaparecerá.
YouTube/ombhagya
7. Queimaduras de sol
Curtiu muito o verão e agora tem uma queimadura de sol? Isso significa que as camadas superiores da pele provavelmente foram destruídas e a epiderme reage ficando vermelha. Coloque uma fatia de cebola sobre a área afetada. Aplique um pouco de clara de ovo (a clara protege a pele e garante a infusão de nutrientes). A cura começa imediatamente. Depois de 3 horas você já vai ver algum resultado.
twitter/ WorldLifestyle
8. Picadas de insetos
Picadas de vespas e abelhas podem ser especialmente traiçoeiras e causar uma alergia severa. Após uma picada, lave imediatamente o local com água fria e coloque uma cebola em cima. Ela puxa o veneno injetado da sua pele, o que faz baixar o inchaço mais rapidamente. Leva apenas alguns minutos. Então, no próximo acampamento, não esqueça de levar uma cebola!
twitter/Forman
Genial! A cebola é um ingrediente tão comum e tão barato que é difícil acreditar que possa ter tantas propriedades benéficas. E o melhor, é um tratamento 100% natural, ou seja, livre de componentes químicos que podem danificar a pele.
Fonte: www.naoacredito.com.br